Tudo o que você precisa saber antes de adquirir uma franquia

AconteceFranquias

A decisão de abrir um negócio é importante e deve ser estudada minuciosamente, para que seu objetivo de vida vire realidade de um sonho e não um pesadelo.

A construção desse Ebook foi feita com base em experiência de empreendedores, que erraram e acertaram, franqueadores e franqueados, investidores e cidadãos “comuns” que, assim como muitos, pensam em abrir o próprio negócio.

Considere todos os pontos listados, e, provavelmente você já dará um primeiro passo assertivo para ter sucesso como empreendedor.

Franquia x Negócio Próprio

Se você começou a pensar em um negócio, é possível que tenha se questionado sobre desenvolver um novo modelo ou investir em uma franquia onde o plano já é pronto.
Assim como tudo na vida, absolutamente tudo, tem seu lado bom e ruim. Porém, se você acessou esse Ebook, é bem provável que esteja cogitando procurar uma franquia. Sendo assim, vamos listar abaixo as inúmeras vantagens em procurar um modelo pronto para seguir.

– Gestão e Suporte

O modelo de gestão de pessoas e processos já foi formatado, com indicadores, experiência de compra e venda, ferramentas consolidadas, suporte desde a escolha do ponto comercial, treinamento e acompanhamento da gestão dos funcionários, quantidade e disposição de produtos, número de colaboradores, fornecedores, avaliações…
O apoio ao franqueado começa com o primeiro atendimento (normalmente feito por um responsável pela expansão da marca), e é realizado durante todo o processo, ou seja, é completo.

– Valor da marca

Ter um nome consolidado no mercado é importante para que os clientes identifiquem com mais facilidade o serviço ou produto.

– Modelo de negócio

O modelo de negócio já foi testado, consolidado e funciona de forma coerente com estudo de mercado e gestão.

– Poder de compra

Como as franquias trabalham com um número grande de lojas, o poder de negociação para compra de produtos e contratação de serviços é maior pela quantidade atendida para uma mesma marca.

– Marketing

As franquias têm um plano de marketing formatado para que a rede cresça e os franqueados tenham mais sucesso.

Normalmente essas ações são on e offline com presença em televisão, rádio e impressos, estratégias de mídias digitais e material publicitário de PDV (ponto de venda). Além disso, há trabalho realizado por assessoria de imprensa, branding (fortalecimento da marca) e eventos.

Marcas consolidadas no mercado têm Comitê de Marketing composto por membros do setor da franqueadora e porta-vozes dos franqueados. Isso assegura uma gestão mais transparente dos recursos do fundo de marketing.

Franqueador ganha quando o franqueado também ganha. As marcas cobram taxa de propaganda, que varia, mas gira em torno de 2% sobre o faturamento bruto. Esse valor é depositado em uma conta exclusiva para esse fim, e apenas gerido pelo franqueador.

– Sobrevida

Muitos negócios sem modelo próprio fracassam nos primeiros anos de existência. Segundo dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o índice de mortalidade das empresas comuns em até 2 anos é de 23%. Enquanto a Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontou que esse número cai para 5% sobre franquias abertas em até 24 meses.

-Troca de Experiência

A oportunidade de poder trocar informações e experiências com a franqueadora e com outros franqueados é uma grande vantagem. Provável que você contribua e receba muita contribuição para que seu negócio tenha sucesso.

Franquias: o que devo saber sobre elas?

Cada marca tem suas próprias regras e modelo de negócios, porém há algumas informações importantes sobre franquias que você deve saber e são comuns a maioria das franqueadoras. Detalhamos aqui para que não seja enganado ou pego de surpresa.

– Taxa de Franquia

É um valor pago ao franqueador para que ele repasse o conhecimento e acesso às estratégias do modelo de negócio, direito da marca, treinamento e suporte inicial. Essa taxa é muito relativa e pode variar de R$ 5 mil a R$ 5 milhões. Tudo depende do segmento, do tamanho e da força da empresa.

– Royalties

É a taxa para ter suporte contínuo do franqueador, além de avaliações periódicas e consultorias para que seu negócio prospere. Lembre-se: se você ganhar, a franqueadora também ganha. O valor pode ser fixo ou variável. No primeiro caso, é acertado entre as duas partes um valor único mensal para que seja repassado ao franqueador. No caso do segundo, é estipulado um percentual em cima do faturamento. Mais uma vez, são negociados diretamente com a marca, mas gira em média de 5 a 8%.

OBSERVAÇÃO: Algumas franqueadoras não cobram royalties. Porém não há mágica nisso. Com certeza o valor já está embutido em alguma outra etapa taxada.

– Fundo de propaganda ou de marketing

As marcas têm plano de marketing e propaganda para toda a rede e para os pontos de venda. Por isso, há essa taxa. Ela gira em torno de 2% sobre o faturamento bruto.

– Tempo de contrato

Cada franquia tem seu tempo de contrato, mas a maioria gira em torno de 5 anos. Após o término pode ser renovado.

– Lei das Franquias

O Brasil tem uma Lei para as Franquias e ela costuma ser seguida, por incrível que pareça. Ela foi promulgada em 1994 e rege as obrigações do franqueado e do franqueador.

– Circular de Oferta de Franquias (COF)

A COF é um documento público. Nele, precisam constar todas as taxas e acordos da franquia e todas as obrigações de ambos durante o tempo de contrato. Além de lista de todos os atuais franqueados, lojas abertas, fechadas, balanço patrimonial da franqueadora, média do Payback (retorno do investimento), entre outras informações importantes.

ATENÇÃO: Apesar de ser um documento público, a franqueadora tem, segundo a Lei de Franquias, obrigação de enviar a Circular de Ofertas de Franquia (COF) até dez dias antes da assinatura do contrato.

– Ferramentas e gestão

Cada franquia tem seu modelo de negócio e estrutura. Porém a maioria das boas marcas investem em ferramentas para facilitar a gestão de seus franqueados, além de gerar transparência em índices e métricas de resultados.

– Financiamento para abrir franquias

O Sebrae e o Bradesco ampliaram o acesso ao financiamento especial para abrir franquias, através de Fampe – Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas. Além desse fundo, os bancos também oferecem financiamento com taxas mais baixas para esse propósito. Pesquise o mais indicado para sua necessidade.
Marca: como escolher?

Não existe uma fórmula mágica para escolher o segmento e a marca certa a investir, porém há dicas a se considerar. Leia o que preparamos para você:

Dicas:

– Faça pesquisa e análise sobre os mercados em expansão e promissores
– Identifique entre eles quais seriam do seu agrado trabalhar ou investir
– Verifique se está devidamente registrada na Associação Brasileira de Franchising (ABF)
– Quanto tempo a marca está no mercado?
– Visite uma feira de franquias
– Converse com outros franqueados da rede, desde os muito satisfeitos até os desanimados com a operação. Isso te dará diferentes pontos de vista
– A franquia tem produtos com marca própria? Isso pode colaborar na lucratividade dos produtos, além de fortalecer a marca
– Preste atenção ao atendimento do responsável pela expansão da marca, é provável que siga o mesmo padrão
– Analise as perspectivas de ganho e de retorno
– Pesquise sobre programa de treinamento de gestão e funcionários
– A marca investe em treinamento e ferramentas de gestão?
– Está em outros estados ou países? Quantas lojas?
– O seu investimento cabe nessa franquia?

Escolhi minha franquia, e agora?

Depois de decidir o segmento e a marca, é hora de concretizar os planos. Neste momento, você pode ou não já ter entrado em contato com alguém da empresa. Caso ainda não tenha dado esse passo, faça a aproximação através de formulário no site ou ligue na central.
Posteriormente, preencherá uma ficha cadastral, sujeita à aprovação do franqueador que analisará além das suas fontes de recursos, suas experiências para que ajude com a gestão.
Após aprovação, uma lista de documentos simples será solicitada: RG, CPF, declaração de imposto de renda ou outro informe financeiro, comprovante de residência e certidões.

Uma apresentação mais profunda deve ser feita a você com dados do setor, números e retorno, além da apresentação da Circular de Oferta de Franquias (COF).

Uma vez decidido a seguir com a operação, você receberá o pré-contrato a ser assinado. Este documento prevê uma multa em caso de desistência, já que o franqueador já começará a se mobilizar para pensar em um ponto comercial e no apoio total da sua operação.

A escolha desse ponto normalmente acontece após a assinatura do pré-contrato em conjunto com a franqueadora. Você opta por uma região e eles ajudam com o raio, ruas ou avenidas relevantes para que você encontre o lugar ideal e promissor para seu novo negócio.

AGORA FALTA POUCO! Você receberá o esboço financeiro de sua operação para que tenha ideia de qual será seu faturamento e quando deverá ter o retorno de seu investimento (payback). Neste momento, você já criará sua empresa, com um CNPJ registrado e conta de banco jurídica.

Tudo pronto! Só assinar o contrato definitivo e começar o processo de obras e gestão do seu negócio.
IMPORTANTE: Os modelos de franquia já foram testados, adaptados e melhorados, A RESPONSABILIDADE DO SUCESSO, É SUA, NÃO DO FRANQUEADOR!